Alimentação

Pipoca: Um balde de antioxidantes e fibras

Data de Atualização: 31 de dezembro de 2014
Redação ConsultaClick | Alimentação

Quem não gosta de uma pipoca quentinha? Ela é praticamente unanimidade nas salas de cinema e no sofá de casa. Mas será que esta maravilha é aprovada pelos nutricionistas?

Saiba que quando escolhido o tipo certo e preparada direitinho, a pipoca pode trazer muitos benefícios para a saúde. Saiba mais sobre a pipoca.

Pipoca está mesmo aprovada?

pipoca2

De acordo com pesquisadores da Universidade de Scranton, nos Estados Unidos, a pipoca tem mais alguns antioxidantes que uma porção de frutas e verduras. Isso significa que, além de deliciosa, pipoca ajuda a combater os radicais livres que tanto afetam nosso organismo.

“Isso se deve à diferença entre a quantidade de água encontrada na pipoca, que é de 3 a 5%, e a detectada nos vegetais, que chega a 90%”, informa Joe Vinson, líder do trabalho. Ou seja, no milho, os compostos fenólicos – antioxidantes- ficam concentrados, enquanto nas outras classes alimentares eles apareceriam mais diluídos.

“A pipoca é o único snack formado 100% pelo grão. Já os antioxidantes encontrados em outros produtos à base de sementes integrais, por exemplo, são removidos ou sofrem degradação durante o processamento”, explicou Vinson.

Conheça cada parte da pipoca

pipoca

Na casca da pipoca, além dos antioxidantes, também são encontradas grande quantidades de fibras, substâncias que contribuem para a formação do bolo fecal, além de tornarem a digestão mais lenta, aumentando o tempo de saciedade.

Já a parte branca e fofa é rica em amido resistente, substância que passa pelo aparelho digestivo e só no intestino grosso é que micro-organismos da flora o transformam em ácidos graxos, vulgo ômega-3.

Como fazer da maneira correta?

pipoca3

Esqueça o saquinho e o micro-ondas, nada de alimentos industrializados ou pipoca vendida em cinema. Prepare você mesma, como sua avó fazia, na panela. Coloque apenas um fio de azeite e o mínimo de sal possível.

 Fonte:

http://www.sciencedaily.com/releases/2012/03/120325173008.htm